Divulgação

Vamos falar um pouco sobre enzimas? Elas são grupos de substâncias orgânicas (geralmente de natureza proteica), com atividade intra ou extracelular, e que têm funções catalisadoras – ou seja, alteram a velocidade de uma reação sem serem consumidas durante o processo.

Na dermatologia estética, elas se mostram grandes aliadas na hora de reduzir medidas, já que suas propriedades também servem à dissolução de gorduras localizadas. Quando aplicadas diretamente na região desejada – como abdômen, flancos, glúteos, culote ou pernas –, essas enzimas conseguem o chamado efeito lipolítico, acelerando o metabolismo e facilitando a quebra da gordura estocada dentro das células, levando à sua eliminação pelo organismo.

A aplicação se dá por meio de injeções que, além desse efeito sobre a gordura, também contribuem para o aumento da circulação local. Esse benefício, por sua vez, ajuda a melhorar o aspecto das celulites e pode oferecer um bom suporte para a redução de flacidez – desconforto muito comum entre pessoas que perdem muito peso, por exemplo, e passam a ter que lidar com o excesso de pele. A combinação de substâncias repara o rompimento de fibras elásticas, agindo para o fortalecimento da pele.

Mitos e fatos
No entanto, é sempre importante esclarecer que os tratamentos e procedimentos corporais tendem a depender muito de uma série de fatores, internos e externos, que influenciam diretamente na eficácia e durabilidade dos resultados. Hábitos de vida (como tabagismo e sedentarismo) se somam a questões hormonais, à genética e até a aspectos emocionais (como o estresse, por exemplo) nessa lista de variáveis.

Em outras palavras, a injeção de enzimas, por si, não opera “milagres”. Um exemplo: essas substâncias têm grande potencial na redução de gordura, mas se a pessoa volta a ganhar peso, é bastante provável que esse ganho se manifeste nas regiões onde se encontrava o acúmulo, gerando novas células gordurosas. E mais que isso: embora as enzimas queimem as células de gordura, sem uma dieta adequada, acompanhada da prática de atividades físicas, novas células de gordura surgirão.

Outro ponto que pode provocar dúvidas: sem gordura não significa necessariamente “definido”. As injeções agem apenas sobre as células gordurosas. Qualquer outro objetivo estético – abdômen “malhado”, músculos aparentes – são fruto de um trabalho corporal localizado que deve, a exemplo dos tratamentos dermatológicos, ser sempre indicado e orientado por um profissional habilitado.

Um dos principais pontos positivos da aplicação de enzimas é que o procedimento não impede que o paciente mantenha sua rotina diária de atividades. A única recomendação nesse sentido é evitar a exposição da área tratada ao sol, caso haja um pequeno hematoma local por conta das injeções – lembrando que importância da fotoproteção diária (não apenas no rosto) já é consenso.

Para além disso, os melhores resultados dependem também do próprio paciente: adote hábitos saudáveis, cuide do cardápio – alimentos naturais e ricos em nutrientes contribuem para a perda e manutenção do peso – e incorpore exercícios físicos no seu dia a dia. Eles auxiliam no funcionamento metabólico, o que resulta na queima de calorias.