Jennifer Lopez, Lupita Nyong'o e Li Bingbing: três dos muitos exemplos de "nude"

Sempre reforçamos a importância de adotar diferentes abordagens dependendo do tipo de pele que vamos tratar. Assim como a pele das crianças não é igual a dos adultos e a das mulheres e da dos homens têm suas particularidades, cada grupo étnico guarda também suas peculiaridades genéticas – também (e muito) na pele. O que requer cuidados específicos, e grande conhecimento e experiência na aplicação dos tratamentos necessários.

Esse é um norte na nossa clínica. Tenho vários anos de treinamento avançado em laser e demais terapias para tratamento de estrias, manchas e flacidez em peles de diversas etnias. Estudos que incluem uma temporada em Washington, nos EUA, para aprimorar minhas técnicas na Cultura Clinic, do Dr. Eliot Battle, especialista e referência internacional no tema.

As diferenças, no entanto, não devem ser levadas em conta apenas no consultório. À indústria dos cosméticos sempre coube o compromisso de atender às múltiplas demandas de mulheres que diferem em seus gostos e em suas peles – seja no que diz respeito à sua estrutura e composição, seja quanto a seus tons. Só para falarmos de Brasil, temos hoje – segundo o Censo – 144 tonalidades diferentes, e metade dos brasileiros tem o que se pode chamar de uma cor mista.

A boa notícia é que os fabricantes e marcas têm tentado acompanhar as discussões da atualidade e vêm investindo nessa diversidade em suas linhas de produtos. E um dos exemplos está no tão popular nude.

Quando se fala em maquiagem, optar por esse tom neutro – ou seja, que se aproxima ao da pele de cada um – é estar pronta para qualquer ocasião. Um make nude combina com o trabalho, com a happy hour, com o almoço com as amigas e até com eventos à noite. E se a tendência prima tanto pela versatilidade, não haveria motivo para ficar presa à apenas um tom, não é mesmo?

Alguns exemplos

Esse recado foi entendido por marcas como a Vult, a Dailus e a Risqué – três dos mais conhecidos fabricantes de esmaltes. Seus lançamentos mais recentes têm incluído diferentes tons de rosa, paletas do bege ao marrom, tons de chocolate e outros puxados para o amarelo. E a lista não para de crescer.

Lá fora, quem está trilhando esse caminho é a marca americana de beleza botânica (que só utiliza ingredientes naturais) Hi Wildflower – que até já ganhou post em nossas redes sociais. É dela uma linha de batons pensada especialmente para as peles negras. Os produtos incluem nove cores de longa-duração e textura matte, e que levam mel, óleo de sementes e manteiga de carité na composição, a fim de garantir a hidratação dos lábios.

Sem contar o mais recente lançamento que chacoalhou o universo das celebridades: a linha Fenty Beauty, assinada pela cantora Rihanna. O conceito cobre três momentos básicos da maquiagem: a preparação (com 40 tons de base), a hora de aplicar um brilho (e para isso oferece seis tipos de iluminador em pó, com toque seco e molhado) e o retoque, que pode ser feito com um pó translúcido com esponja e ou folhas matificantes (para alívio das mulheres com pele oleosa).

Estamos sempre de olho em notícias e lançamentos que contemplem a diversidade de peles e tons. Seja aqui no blog ou em nossos perfis no Facebook e no Instagram.