Imagem: Divulgação

Cabelos: tema rico em experiências, identidades e costumes. Uma expressão cultural por excelência e que merece toda a atenção.

Mostra disso e que para escrever o livro Me, My Hair And I (“eu, eu mesma e meu cabelo”, em tradução livre do inglês), a autora americana Elizabeth Benedict pediu a 27 mulheres que contassem algo significativo sobre seus fios.

O resultado é uma coleção de depoimentos que extrapola a questão estética dos cabelos e acaba contando muitas histórias de vida. Como a da novelista que se viu diante de um conflito com a família quando decidiu assumir o afro nos anos 1960. Ou a da filósofa que lembrou da infância, quando sua mãe mantinha os cabelos das filhas curtíssimos, raspando a nuca das meninas com o aparador de barba do marido.

Como por aqui o assunto é beleza e saúde – e com o verão trazendo o aumento da temperatura e presença mais forte do sol –, reunimos algumas informações e dicas para cuidar do couro cabeludo e dos fios durante os meses de calor, mar, piscina… E muito suor!

Couro cabeludo

A água do mar, o cloro da piscina, os raios solares e a poluição são quatro dos danos que se intensificam principalmente no verão. O suor, o calor e a umidade, por exemplo, podem facilitar problemas como a seborreia e a caspa. Ao passo que se torna maior também o risco de o couro cabeludo queimar se não estiver bem protegido.

Para evitar o primeiro problema, não existe fórmula mágica. O caso é de higienização correta – é dela que partem o brilho, o viço e a força refletida nos fios. Por isso, além de uma boa limpeza (sempre com produtos próprios para o seu tipo de cabelo e pele), são importantes a reposição de nutrientes e a hidratação.

“Boa limpeza”, no entanto, não significa exagerar na quantidade de lavagens. Mesmo com o calor, resista aos excessos. Os cabelos precisam da oleosidade natural para se protegerem de danos externos. A oleosidade desce da raiz por toda a extensão do fio. Se isso não acontece, a passagem é livre para o ressecamento e a quebra das pontas.

Já a fotoproteção – importante para todo o corpo e todos os dias – se intensifica nos meses de calor e deve incluir também a cabeça. No entanto, quando não é possível aplicar protetor diretamente no couro cabeludo (leia sobre proteção dos fios abaixo), a ideia é evitar a exposição. Para isso, nunca esqueça os chapéus e bonés em caso de períodos mais longos sob o sol (na praia, na piscina ou mesmo durante atividades ao ar livre).

E uma dica: evite usar o condicionador direto no couro cabeludo, o que aumenta as chances de dermatite. O produto deve ser aplicado sempre do meio dos fios para baixo – para os cortes mais curtinhos, procure concentrar a ação nas pontas.

Cabeleira

Dias de sol são uma delícia, mas também inspiram muitos cuidados. E um bom começo é optar por xampus e condicionadores com proteção UV e ativos especiais que previnam a queda, o ressecamento e a perda de brilho. Investigue os rótulos das linhas de verão e invista nas que melhor oferecerem essas funções.

A “blindagem” ganha reforço com o uso de um leave-in com fator de proteção, antes da praia ou piscina. Esse tipo de cosmético deixa uma “capa” nos fios que ajuda a preservar tanto a nutrição quanto a beleza. Escolher entre as versões creme ou spray vai depender do seu tipo de cabelo – uma boa é pedir orientações a seu médico dermatologista ou cabeleireiro de confiança. E quando sair do mar, lave os cabelos com água doce antes de reaplicar o leave-in.

Já contra o efeito armado, a dica são as máscaras de nutrição ou de hidratação ricas em aminoácidos e óleos vegetais. Elas são grandes aliadas contra a ação do sol, do sal, da areia e do vento – que abrem as cutículas e tornam os fios porosos. E informe-se também sobre a possibilidade de aderir aos óleos, dependendo do seu tipo de cabelo.  Os benefícios são muitos: hidratar, reduzir o frizz e nutrir, entre eles.

Dicas quentes

Entre um mergulho e outro, desembarace com delicadeza os fios com um pente largo – que evita a quebra. Comece pelas pontas e vá subindo até a raiz sem pressa. E nunca prenda o cabelo molhado para não parti-lo. Comece a desembaraçar o cabelo das pontas para a raiz! Os fios já estão vulneráveis pelo excesso de calor e sol.

Para quem não quer (ou não pode) evitar o secador, uma alternativa é utilizar o aparelho no modo “morno”, a uma distância de aproximadamente 30 cm da cabeça. As altas temperaturas aumentam o ressecamento, roubam o brilho, a maciez e o movimento dos fios.

Já os xampus antirresíduos ou anticaspas não devem substituir totalmente os convencionais durante a lavagem. Isso porque sua ação é boa para o couro cabeludo – eliminando impurezas e o acúmulo de ativos dos produtos diários –, mas não trazem benefícios aos fios, que tendem a ficar ressecados. A dica é sempre completar o processo com seu xampu preferido. O resultado? Couro cabeludo limpo e os fios tratados.

Consulte sempre um especialista

As madeixas são extremamente importantes na vida das mulheres e têm o poder de mudar a aparência física e a autoconfiança. “O cabelo humano é facilmente danificado por agentes externos e tratamentos térmicos, físicos e químicos como o sol, o aquecimento, a escovação, a descoloração e a coloração. Esses processos levam a um envelhecimento precoce dos fios”, ressalta a doutora Luciana Maluf.

“E não podemos esquecer ainda que temos o envelhecimento cronológico que ocorre com o passar dos anos, gerando mudanças que todas as mulheres detestam: pontas duplas, textura frágil, aparência opaca e áspera, branqueamento, diminuição da espessura, secura e fragilidade. Antes de realizar procedimentos químicos é importante lembrar que para manter a saúde dos fios é preciso consultar um especialista de confiança e avaliar quais serão as consequências”, conclui.